Preconceito não raro é engraçado, mas nunca benéfico.

(Ou a minha resposta aos absurdos da Ruth de Aquino)

Não sei, acho que essa tal Ruth, antes uma ilustre desconhecida fora do próprio meio, virou vedete da blogosfera não por mérito, mas por demérito. Mas já que tanto leite se derramou por conta dela, escrevi também minha resposta:

Quando eu era criança, lá nos idos dos anos 1980, morando num subúrbio parisiense cheio de operários imigrantes, ria a vontade com as piadas sobre árabes. Depois na minha adolescência na capital das alterosas, piadas de negros e judeus continuavam extraindo minhas gargalhadas. Na década de noventa o brasileiro já havia percebido o mal do racismo. Piadas agora eram sobre gays, e não mais sobre negros e judeus! Agora nos anos 2000 cuidamos para que estereótipos de grupos, sejam sociais, sejam étnicos, não mais apareçam de forma debochada e depreciativa. As piadas continuam engraçadas, vejam bem, mas sem precisar citar a cor da pele ou a opção sexual da pessoa. Não é mais "um negão" ou "uma bichinha", mas apenas "um sujeito" ou "um cidadão".

Imagine então, se hoje, no ano de 2009, uma jornalista de uma revista de grande circulação escrevesse uma crônica intitulada:

"O besteirol nas ONGs de orgulho Gay é melhor que no Senado"

Ou então uma com o subtítulo:

"Ler sobre ativismo de entidades afro-brasileiras é uma receita certa para dar risada."

Não há risada que justifique o racismo dessa frase! Não há besteirol que justifique a homofobia da primeira. Não há, Sra. Ruth, texto que "se propõe sobretudo a ser bem humorado" que justifique o preconceito expressado no seu artigo. Lembre que 30 anos atrás o preconceito contra negros era tão comum que ninguém se consideraria racista por contar uma piada de negros. E 20 anos atrás, ninguém se consideraria homofóbico por contar piadas de gays. O preconceito é cego. Se a Sra. não consegue ver o próprio erro é culpa do próprio preconceito. A intenção bem humorada do texto é calcada no preconceito contra a ciência e o cientista! É o tipo de "boa intenção" (e aqui entre aspas por que pessoalmente não vejo nada de boa nela) da qual o inferno está cheio.

Repense seus valores e conceitos, olhe bem para o que escreveu e entenda: ofender, estigmatizar e rir dos outros é sim preconceito, e como todo preconceito, nocivo à sociedade.

eeebuntu, ubuntu-eee, crunchee e eeexubuntu: Impressões de uma semana depois de comprar um cartão SD de 8Gb

Semana passada eu disse que tinha comprado um cartão de memória de 8Gb pra rodar outros OSs no meu eeepc 701. Essa semana eu conto o que achei, tendo experimentado um pouco de tudo.

O primeiro que eu instalei foi o ubunutu-eee. Achei bacana, mas o tempo de boot era pobrinho. Pedi sugestões e esses foram os que me indicaram:

Ubuntu-eee no meu eeePC
Ubuntu-eee no meu eeePC

A comparação que eu fiz é muito mais intuitiva do que qualquer outra coisa, por isso a percepção de outras pessoas pode ser completamente diferente da minha. Vou dividir as impressões de acordo com o que eu encontrei de diferenças relevantes entre os sistemas, seja porque me agradou, seja porque desagradou.

Pros apressados, uma tabela:

eeebuntu Ubuntu-eee cruncheee eeexubuntu xandros (pre instalado)
Tempo de boot ~2 min ~2 min ~2 min ~1min 20 sec 20 sec (+20 sec para conectar na rede wi-fi)
Interface com o usuário Excelente Excelente (mas mais feio) Ruim Péssima Razoável
Programas pré instalados Ruim Muito bom Bom Ruim Razoável
Configurações especificas para o modelo Bom Ruim Excelente Ruim Pré-configurado

Pros menos apressados... Continue reading "eeebuntu, ubuntu-eee, crunchee e eeexubuntu: Impressões de uma semana depois de comprar um cartão SD de 8Gb"

twilight, ubuntu-eee e clotilde!

Primeiro, graças a Lila, que alguns aqui conhecem, consegui o "O destino se chama Clotilde". Chegou ontem, e eu já comecei a ler. Eu lembrava de muita coisa, mas o que mata são realmente os detalhes: hilários, sempre! Valeu mesmo a pena "caçar" de novo o livro depois de tantos anos. Se tiver paciência, posto uma resenha depois de (re)ler.

Segundo, comprei um cartão SDHC de 8Gb pra instalar outros SO's no meu eee pc. Tentei agora o ubuntu-eee. Legal, mas dois detalhes fodem com tudo: Ele exige muito mais processamento do eee (o micro fica quente enquanto eu uso, o que nao acontece no xandros) e o tempo de boot é ABSURDAMENTE maior. Pelas minhas contas, 6 vezes maior já que de 20 segundos pula pra 2 minutos. Vou experimentar apenas "hibernar" pra ver como fica.

Alguém tem outra dica de SO pra rodar no bichinho? (Sempre no cartão de memória, porque não vou matar o xandros nativo dele enquanto não tiver algo que boote em menos de 30 segundos). Será que rola recompilar o kernel "no braço" tirando tudo que eu não for usar? Outra coisa que me incomoda é o pulseaudio! Rola desabilitar/desinstalar?

Zé Topete e Dentucinha
Zé Topete e Dentucinha

E por ultimo, vi o filme mais emo da historia da humanidade: Twilight! Minha esposa[foot]Desculpa de peidorrero! CLARO que eu que queria ver, afinal o Edward é lindooooooooooooooooooooooo[/foot] leu os livros e resolveu ver o filme. Enrolamos ainda um pouco, e hoje estávamos sem o que fazer, resolvemos ver. Segundo a Anita, o Edward é bonito, mas o filme é um lixo! É arrastado, lento, com péssimas atuações e um elenco EMO, um roteiro EMO e uma filmagem EMO que parece que mesmo quando o casal tá no mór love, tá todo mundo triste, prestes a chorar. A ÚNICA cena onde o povo abre um sorriso é quando o Edward apresenta a dentucinha pra família dele (Confesso que a dentucinha também valeria a pena ver num filme de vampiros "de verdade" onde rolasse um pouco mais de putaria, apesar de ter pouca carne!). Enfim, entendi porque a miguxada adorou o filme: é emo até a alma, e emo tá na moda. O vampiro é bonitão e tem cabelinho com um topete meio emo, meio da moda. E a censura é livre, afinal ninguém come ninguém. Aconselho quem for pedófilo a levar sua namorada de 14 anos, ela deve adorar!

Pensando bem, acho que o ambiente "emo" tem mais a ver com os atores serem todos totalmente inexpressivos do que com a intenção de ser emo. É que o filme é tão ruim, que sem querer fizeram algo que agradasse o público aborrecente e irritasse o resto do mundo. E a coitada da dentucinha desperdiçou a carreira dela com esse filme. Se não filmarem as continuações, ela nunca mais vai conseguir um papel decente (e ela era a melhor atriz do filme todo, tirando talvez o índio de cadeiras de rodas que aparece em duas cenas).

Teoria Geral das Coincidências 102.

Como sempre, as coincidências vem de onde menos esperamos. Dessa vez foi um email que uma colega de serviço mandou pra todo mundo. Nada de mais, é uma crônica sobre Deus, o universo e tudo mais @ wikipedia.org (en). Ou sobre como a gente passa vida inteira pra descobrir o que algum filósofo grego @ wikipedia.org (en) e jogador de futebol @ wikipedia.org (en) da seleção do Telê Santana @ wikipedia.org (en) já tinha falado antes: "Só sei que nada sei". (É verdade que o Lula também vive dizendo que não sabia de nada, mas de filósofo ele não tem nada).

Quando cheguei no meio do email, virei minha cadeira e disse pra ela (ela, a colega que mandou o email, que por acaso senta logo atrás de mim):

- Você me mandou esse email porque sabia que ele teria um significado especial pra mim, ou porque mandou pra todo mundo?

- Hein?!?! Significado? Caixa? Escrito frágil[foot]by Kenji.[/foot]?!?!?

- O professor, de quem ele fala na crônica, é meu avô!

- Sério? Pois o autor da crônica é o tio do meu marido, por isso eu repassei!

Já ia falar que dessa vez a coincidência nada tinha a ver com o catalizador anterior, mas lembrei: o caso acontece em frente ao Tip-Top, na R. Espírito Santo... Poucos quarteirões pra baixo do Café Moema, na R. da Bahia, que pertencia ao ramo Moemense da minha família.[foot]Tá, eu forcei um pouco a barra. São quase 6 quarteirões. Mas menos de 10 é "poucos" né? :-D[/foot]