Se Neil Gaiman pega leve com a JKRowling, o Orson Scott Card não...

Se no meu post anterior eu falei sobre o Neil Gaiman @ wikipedia.org (en) "filosofando" e pegando leve com a autora de Harry Potter @ wikipedia.org (en) (ou seria Larry Potter @ wikipedia.org (en)?), pois o Orson Scott Card @ wikipedia.org (en) não quer nem saber: Desceu a lenha na dona! Num artigo dele pro rhinotimes, Orson fala abertamente sobre a falta de caráter da JKRowling, da "frivolidade" do processo contra Vander Ark @ wikipedia.org (en), da publicidade negativa e dor de cabeça que ela vai ter, não por causa da publicação do "Lexycon", mas do processo fútil e impopular, da busca por respeito acadêmico que seu livro nunca vai ter por mais que venda, e principalmente, de como ela chupou as obras de tantos escritores antes dela e agora quer impedir que chupem dela menos do que ela mesmo chupou.

Ele começa dando logo uma voadora no peito:
[amazonify]0812550706:right[/amazonify]

A young kid growing up in an oppressive family situation suddenly learns that he is one of a special class of children with special abilities, who are to be educated in a remote training facility where student life is dominated by an intense game played by teams flying in midair, at which this kid turns out to be exceptionally talented and a natural leader. He trains other kids in unauthorized extra sessions, which enrages his enemies, who attack him with the intention of killing him; but he is protected by his loyal, brilliant friends and gains strength from the love of some of his family members. He is given special guidance by an older man of legendary accomplishments who previously kept the enemy at bay. He goes on to become the crucial figure in a struggle against an unseen enemy who threatens the whole world.

E sim, ele está falando do próprio livro, Ender's Game @ wikipedia.org (en), publicado anos antes da JKRowling pensar em escrever Harry Potter. Numa coisa eu não posso deixar de concordar com ele: De agora em diante a Dona Rowling deixou de ser a Cinderela literária e virou a bruxa má! Será que toda cinderela vira bruxa, por isso nunca ouvimos o final dos contos de fadas?

link (via /.)

Quando os sapos uivam, a internet re-passa...

Lá pros idos de 1900 e antigamente, quando papel @ wikipedia.org (en) ainda era meio de comunicação de massas e as pessoas usavam fita cassete @ wikipedia.org (en) pelo correio @ wikipedia.org (en) pra mandar músicas pros amigos distantes, meu irmão se interessou por literatura. Poesia em especial. E seguindo os estranhos costumes daquela época medieval, usou de um mecanismo de divulgação bastante estranho: O Fanzine @ wikipedia.org (en).

Pra quem não viveu na era das trevas @ wikipedia.org (en), quando google era o barulho que a coca-cola fazia ao sair do "casco" de vidro com tampinha que nem rosca tinha, um Fanzine é um pedaço de papel onde pessoas escreviam suas idéias, desenhos, obras, críticas ou qualquer manifestação que hoje cai no domínio da DMCA @ wikipedia.org (en), e distribuíam entre os amigos, nas escolas e faculdades ou mesmo no centro da cidade. Usavam-se tecnologias estranhas como "mimeógrafo @ wikipedia.org (pt)" ou "máquina de xerox @ wikipedia.org (en)", que assustariam qualquer um hoje em dia, mas que eram demandadas pela religião @ wikipedia.org (en) e tecnologia da época como purificadoras das cópias impressas de forma barata e prática.

Claro que religiões, assim como ciência e tecnologia, mudam um dia! E o Fanzine do Sapão evoluiu! De papel virou bits @ wikipedia.org (en), de bits virou HTML @ wikipedia.org (en), HTTP @ wikipedia.org (en), e por fim virou Blog!

Então, depois de um milênio de evoluções, tenho o prazer de (re)apresentar o Fanzine que o Sapão lançava nos idos do milênio passado:

UIVO

Que como o Sapão mesmo descreve:

O Uivo foi um fanzine (em papel e depois na web) dedicado à publicação de textos literários de autores pouco (ou nada) conhecidos. Agora é um blog...

link (thanks, e re-thanks sapão)

Joguinhos viciantes...

Quase sempre são idéias simples as que dão os joguinhos mais divertidos e viciantes. Uma dessas idéias é a idéia de "Tower defense @ wikipedia.org (en)". O jogo consiste basicamente em um "caminho" por onde passam "creeps" e em torno do qual você precisa instalar suas defesas: Torres que atiram com potências, alcances e miras diversas. Em cima dessa idéia simples criam-se dúzias de variações: cenários, torres, creeps, caminhos (ou a falta deles): Tudo pode variar!

O primeiro Tower Defense que conheci foi o Flash Element TD. O caminho é fixo com uma entrada e uma saída. São tipos diversos de "creeps" que podem ser terrestres ou aéreos. Suas torres podem ser baseadas nos elementos, e o dinheiro acumulado pode render juros. A estratégia nesse jogo é juntar dinheiro e acumular juros para gastar nos níveis mais altos.

Durante alguns dias eu viciei nele, mas por fim a vitória era garantida! Não existiam muitas variações e desenvolvida uma estratégia vitoriosa o jogo perdeu a graça. Mas o próprio autor do jogo indicava outros, e parti pros próximos:

  • Flash Circle TD, onde os "Creeps" caminham em círculo e se acumulam cada vez mais.
  • Vector TD, com gráficos simples, mas estratégias complexas, variações diversas nos caminhos e nas torres disponíveis.
  • e por último Desktop Tower Defense, onde os "Creeps" não seguem um caminho prefixado, contornando as torres que você espalhar pelo "tabuleiro".

Num primeiro momento não viciei em nenhum desses, apesar que depois de um tempo acabei viciando no Desktop TD, só que em outra versão...

Passei um bom tempo sem jogar porque depois do vício inicial, todos perdiam um pouco a graça, ou por serem difíceis demais ou por serem fáceis demais. Em dias de tédio acabava voltando aos jogos, mas só voltei a viciar mesmo quando encontrei o Casual Collective! Ali uma novidade interessante: não só eu podia jogar os mesmos TDs de sempre, como podia também jogar "contra os outros"! Aí sim eu voltei a viciar, não em Desktop TD, mas no Multi-Player Desktop TD!

Não teve jeito, viciei de novo! Ainda sou "novato" perto dos outros, mas já estou descobrindo minhas estratégias 🙂 Experimentem!

link.