2007 October 17 19:53:49 BRT

Esse é das antigas, desenterrei ele de um ex-ezine de poesias que meu irmão tentou manter (tinha sido um fanzine em papel, depois virou e-zine, depois virou google cache, depois nem isso, enfim...).

Era minha época de segundo grau... Ainda no século passado quando as moças eram formosas, o tempo era menos quente e eu não comia ninguém... O professor de português, que também era poeta (e famoso, pro nosso bico) vivia nos incentivando a escrever, com todo tipo de oficina. Dessa vez foi assim:

Ronald: Cada um vai falar uma palavra com a letra C e eu escrevo aqui no quadro.
Alunos: Casa! Comida!
Aluno engraçadinho: Caralho!

E o Ronald escrevendo... Ele anotava essas coisas também porque o engraçadinho acabava ficando sem graça e parava.

Até que chegou minha vez:

girino: Çutiã!

(risada geral)

Alunos: Sutiã é com ésse, seu retardado!

Mas o Ronald não teve dúvidas, e colocou no quadro:

Çutiã

E nesse dia nasceu esse conto:


Çutiã

by girino

Ela tirou o Çutiã e deixou ele na mesa. Transamos e ela foi embora. Deixou o Çutiã. Droga!! O que eu vou fazer com aquele Çutiã? Joguei fora.

. . .

Dling-dlong! Abri a porta: Ô seu moço, foi u sinhô qui perdeu esse Çutiã? Achei lá no lixo e pensei que só pudia ser coisa do sinhô e que caiu lá puringano. Tó! Peguei, fechei a porta, fui na cozinha. Joguei aquilo na triturador de lixo!

. . .

Bzz! Bzz! Bzz! Alô, aqui é da Copasa. Nós já mandamos pelo correio o Çutiã que o senhor deixou cair no triturador. Abri a caixa de cartas: Çutiã!! droga! Jogar na privada? não, não, não! a Copasa manda. Joguei no riacho pra água levar!

. . .

Aqui! Eu sou da prefeitura e eu acho que esse Çutiã veio do riacho que passa atrás da sua casa, deve ter caido do varal. Mil vezes droga! Joguei ele em cima da mesa!

. . .

Sabia que tinha esquecido ele aqui! Mas que vergonha, ainda no lugar que eu deixei, isso é um absurdo. Transamos e ela foi embora. Deixou o Çutiã...

--girino 20:17, 17 Outubro 2007 (BRT)

Leave a Reply